Plágio: a desgraça da internet

Estava eu circulando pelas comunidades do Orkut sobre design (e web) garimpando tópicos diferentes de "avaliem" "ajuda urgente!" e encontrei um tópico do Thiago Canudo sobre o plágio na web, em que ele apresentou uma cópia do seu portfólio.

Não conheço o Thiago nem seu trabalho, mas sou totalmente contra o plágio. Pera lá, se inspirar é uma coisa e acho isso ótimo em qualquer profissão. Indústrias, empresas, comércio e pessoas se inspiram na concorrência que deu certo, mas roubar projetos é um pouco diferente de inspiração.

Sei que na web é "comum" essa inspiração demasiada em sites alheios, mas o que me deixou realmente puto apavorado chateado foi o comentário de alguns colegas de profissão que, de certa forma, defenderam o plágio como uma necessidade do mercado.

Necessidade do mercado são bons profissionais, isso sim!

Não sei se eu que sou chato e idealista demais, mas qualquer projeto de criação é protegido por direitos sobre propiedade intelectual. Eu dediquei meu tempo, meu estudo, conhecimento, computador, meus livros e revistas, minha saúde (coluna e visão agradecem quando saio do computador…) e talvez meu final de semana para projetar um layout, para montar um html semântico, para reduzir a folha de estilo e conseguir fazer tudo sem Flash ou Javascript.

E aí, em dois dias um mané que pensa ser profissional (mas não é e culpa o mercado) copia todo o meu trabalho porque um cliente manda?

Sinceramente eu não tenho grande preocupação com isso, então não pensem que estou surtando ou achando que vou perder mercado, que o mundo vai acabar por isso. Tenho paixão pelo mercado, pelo trabalho e argumento suficiente para não plagiar.

Fábrica de layouts

Essa é nossa agência de dezaim!

Quem bloga certamente (aí estão só 3 exemplos…) já sofreu com algum tipo de plágio. É layout, é nome, texto, imagens, tudo… e os blogueiros profissionais lutam contra isso. Agora um cara que trabalha com internet também é plagiado… por um "colega"?

Os clientes que buscam preço apenas… estes que procurem alguém que saiba o preço do seu plágio trabalho. Eu trabalho com projetos pequenos, com raríssimas excessões, mas um cliente que exige um plágio não é um bom cliente. Você que está no mercado sabe disso, evite este tipo de cliente. Corra, jogue o preço (várias vezes) acima do que ele pode pagar, diga que não pode fazer, escape.

Você pode até perder o cliente, mas ele não valeria a pena. No tópico em questão eu entrei em um conflito de um debate que foi produtivo com o Fulano de Tal*, que comentou o seguinte:

No entanto, é o velho confronto: conta$ no final do mês VS. ética…
Tento seguir teu pensamento, no entanto…
O cliente tem $empre razão… Me$mo q não tenha! 😉
Infelizmente não cheguei nesse patamar de poder dispensar trabalho… :((
Cobro mais caro, mas não dispenso…
E, é isso, se te clonaram é pq vc é bom! Encare como um ´elogio´, tb…

Já comentei aqui sobre o meu pensamento do cliente tem sempre razão, discordo. O cliente nem sempre tem razão e é você que deve dizer isso para ele! Da forma certa, claro, mas deve dizer o que é certo ou errado.

A resposta veio irônica e decepcionada da minha parte:

"E, é isso, se te clonaram é pq vc é bom! Encare como um ´elogio´, tb.."

Putz, vai parecer implicância, mas não é mesmo… hehe
Cara, encarar como um elogio? Deve ser por isso que a Adobe e Microsoft adoram ter seus programas pirateados.

"É bom, por isso eles pirateiam. Consideramos isso um elogio."

Já é desanimador ver as "pessoas normais" plagiando, agora os profissionais (hã?) achando isso normal é o cúmulo. Se a gente não reclamar, ofender, processar, ninguém vai…

O Fulano disse que é contra o plágio, mas o faz por exigência de clientes. Ser profissional não é executar tudo o que o cliente manda, nunca vai ser. Aprenda isso o quanto antes.

– Doutor, eu gostaria de ter uma cicatriz na cara, igual o Scarface.
– Mas Guilherme, uma cicatr…
– Pega o bisturi e corta.

Contas a pagar, filhos para criar, tudo bem que a realidade é bem diferente da minha, mas nem por isso desvalorizo o trabalho alheio. Não consegue se encaixar no mercado? Estude, faça cursos, melhore seus projetos, se especialize, evolua! Ou procure outros mercados.

Mais um scrap meu, entre as respostas.

Copiar o trabalho de alguém é assinar que tu não valoriza m* do teu trabalho – e isso tudo bem, é teu. Mas menosprezar o trabalho DO CARA QUE TU TA COPIANDO é uma puta pilantragem.

Te desejo sorte neste mercado que tu diz ser horrível, eu afirmo que ele é muito bom.

Me lembrou o comentário que o Thiago deixou neste post sobre carreira,

"O engraçado é que: quem entra no mercado só fala bem dele. Quem não entra só fala mal rs."

Thiago R.

Isso não é pessoal com o Fulano, mas o exemplo foi tão bom que serviu para a criação deste artigo.

A minha pergunta é, você não está ganhando o suficiente com seus projetos, as contas estão atrasando, conta entrando no vermelho… você roubaria um carro por isso?

Eu iria me especializar ou procurar um segundo trabalho.

* Fulano de Tal – nome fictício para manter o anonimato do macaco sujeito que acha que se o cliente manda, tem que copiar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *