SEO: siga o bom-senso, e não as fórmulas prontas

SEO é sem sombra de dúvidas um dos assuntos mais recorrentes nos blogs hoje em dia. Ter um site bem colocado nos mecanismos de busca faz com que a viabilidade de qualquer projeto esteja bem encaminhada.

Sou muito contra a maioria dos posts que vejo por aí, e também muito contra um monte de empresas que ganham em cima de SEO: já vi muita coisa que é puro achismo. Como, por exemplo, regras que são ditas, como:

  • o título da sua página deve ter de 3 a 5 palavras
  • a meta-tag description deve ter até 160 palavras
  • você deve usar entre 5 a 10 palavras-chaves na meta-tag keywords

A última regrinha dessas, que vi, é a seguinte para calcular o peso de uma palavra-chave:

  • x: quantidade de palavras da palavra-chave
  • y: quantidade de vezes que este palavra-chave tem dentro da descrição
  • z: quantidade de palavras da descrição
  • Peso= x*y/z*100%

Tendo calculado o peso, estima-se que ele deve ser maior do que 4%.

Agora… de onde vem isso? De onde alguém tirou essa regra? Já vi empresas cobrando fortunas, do tipo R$30 mil, para fazer a avaliação de um projeto de médio porte, usando um monte dessas regras inventadas por não-sei-quem.

 

Eu ainda sou um defensor do bom-senso; SEO está ligado a coisas como, por exemplo:

  • uso correto da semântica do html (conteúdo no html, layout no CSS)
  • webwritting bem feito (textos sucintos, que vão direto ao ponto)
  • escolha correta das keywords (poucas, mas bem escolhidas), tentando pegar as que aparecem na description, título da página e conteúdo (só isso já dá um peso grande para cada keyword)

Quero ler o livro que o Google lançou sobre SEO; mas eu dúvido que lá eles dêem o how-to de como são calculados os fatores do Page Rank e afins. Aposto que devem falar muito mais sobre conceitos, bom-senso e boas práticas na construção do seu website do que dar formulateas prontas para calcular índices na sua página.

Sugiro uma lida nesse texto sobre SEO e como o Google posiciona os resultados de busca; nada de regrinhas, formulinhas prontas. O bom-senso e a boa construção de um projeto, mais a utilização de técnicas não-invasivas – ou blackhat SEO – são a chave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *