Como estender os Controllers do Code Igniter

Estender um controller do Code Igniter é uma boa forma de carregar um controller com algumas pré-definições, como validação de usuário, carregamento de bibliotecas ou definições de idioma.

Como estender um controller?

Para estender um controller (ou qualquer outra parte do Code Igniter) o primeiro passo é criar um arquivo que será carregado automaticamente e terá a classe que iremos utilizar.

No meu caso, para estender um controller vou criar um arquivo chamado MY_Controller.php no diretório:

application/core/MY_Controller.php

Dentro este arquivo crio uma classe para estender meu controller, por exemplo:

class MY_AdminController extends CI_Controller {}

E dentro desta classe eu adiciono o que for necessário para o meu controller extendido.

class MY_AdminController extends CI_Controller {
	function __construct(){
		parent::__construct();
		header('Content-type: text/html; charset=utf-8');
		$user = new User();
		if(!$user->getLogged()){
			die('There is only one god and his name is Death, and there is only one thing we say to Death: "Not today"');
		}
	}
}

E no arquivo do seu controller, ao invés de estender o controller você extende o MY_AdminController ou qualquer outro nome que você tenha utilizado.

Você pode ter mais do que uma extensão de controller, no mesmo arquivo de extensão (MY_Controller.php) é só criar uma outra classe e estender o mesmo Controller.

class MY_AdminController extends CI_Controller {}
class MY_App extends CI_Controller {}

Uma outra forma de estender é utilizar os hooks, que permitem um controle mais sensível de onde e o que carregar.

E você, como faz isso nas suas aplicações?

PHP short_open_tag

Uma vez um colega me disse que os erros bobos são os mais difíceis de serem detectados, e é onde acabamos perdendo mais tempo – por isso eu acho pair programming uma ótima idéia.

Resolvi escrever este post para que os leitores, quando se depararem com situação parecida, economizem o precisoso tempo indo direto a solução e não fazendo os testes como eu fiz. O problema: meu apache parou de executar algumas tags do PHP, imprimindo o código PHP na tela.

 

No Mac OS configurei o Apache, PHP, NodeJS e o MongoDB. Tesstei e todos estavam funcionando, porém vários dos meus projetos, como o And After e o Eu Compraria deixaram de funcionar corretamente. As páginas abriam, algumas sem CSS, tudo estranho! Fui verificar o código e o PHP não estava interpretando nada dentro do e estava imprimindo o código no HTML.

Com alguns testes descobri que <?php funcionava e <? não, com mais um pouco de pesquisa descobri uma configuração que nunca dei importância no PHP, a short_open_tag.

 

PHP short_open_tag

short_open_tag é a configuração que permite o atalho de sintaxe <? ser interpretado da mesma forma que <?php.

Como habilitar ou desabilitar a short_open_tag?

Esta configuração está no php.ini, portanto abra ele no seu editor de texto e faça uma busca por "short_open_tag", encontre a linha e altere o valor da configuração.

 

Não sei o motivo, mas no Mac OS o padrão (pelo menos da minha instalação) foi a short_open_tag desabilitada. Quer saber mais sobre o assunto? Documentação do PHP.

MySQL error #2002 – No such file or directory

Ainda configurando meu ambiente de trabalho no Mac OS X, me deparei com um problema que eu não conhecia no MySQL: Error #2002 – No such file or directory.

O arquivo nao encontrado é o MySQL socket, então seu PHP está apontando para um arquivo de socket inexistente.

O primeiro passo é descobrir onde está o mysql.socket, para isso você precisa estar com o MySQL server rodando e abrir um terminal do MySQL. No terminal do MySQL digite status, e você terá informações parecidas com estas:

Connection id: 4 
Current database:
Current user: [email protected]
SSL: Not in use
Current pager: stdout
Using outfile: ''
Using delimiter: ;
Server version: 5.5.28 MySQL Community Server (GPL)
Protocol version: 10
Connection: Localhost via UNIX socket
Server characterset: latin1
Db characterset: latin1
Client characterset: utf8
Conn. characterset: utf8
UNIX socket: /tmp/mysql.sock
Uptime: 42 min 26 sec

O UNIX socket mostra o local correto do seu arquivo de socket, agora você só precisa fazer seu PHP apontar para este mesmo arquivo. Abra seu PHP.ini e procure pelos atributos listados abaixo, substituindo pelo valor correto (o do status no terminal do seu MySQL):

  • pdo_mysql.default_socket
  • mysql.default_socket
  • mysqli.default_socket
  • pdo_mysql.default_socket

Agora é só reiniciar seu Apache para aplicar as novas configurações e você estará apto a conectar ao MySQL com o PHP.

Dúvidas e sugestões nos comentários. 🙂

PHP – upload de arquivos com POST

Sempre que implemento algumas coisas no And After surgem mil idéias para posts aqui no O Desenvolvedor, desta vez vou abordar como lidar com upload de arquivos com PHP através do método POST.

 

Formulário para envio de arquivo

Para permitir o upload de arquivos com PHP o formulário deve ter o atributo enctype da seguinte forma:

form enctype="multipart/form-data" action="post.php" method="post"

E o campo de arquivo, onde o usuário vai selecionar o arquivo que será submetido através do método POST"

input name="userfile" type="file"

Upload de arquivo com PHP

Na sua página PHP que receberá o post do formulário você terá acesso ao objeto $_FILES, que será um array com todos os arquivos submetidos no post.

Para acessar um arquivo específico, usamos o valor do atributo "name" que foi utilizado no inpute de arquivo no formulário, no exemplo anterior o nome é "userfile", portanto teremos $_FILES['userfile'].

Para visualizar no navegador todas as informações existentes no objeto faça o seguinte:

print_r($_FILES['userfile']);

Você terá

  • $_FILES['userfile']['name']
  • $_FILES['userfile']['type']
  • $_FILES['userfile']['size']
  • $_FILES['userfile']['tmp_name']
  • $_FILES['userfile']['error'] (veja a lista de código de erros do upload PHP)

Com estas informações você pode aplicar toda a lógica e tratamento necessário como verificação da extensão, tamanho, nomenclatura do arquivo, etc.

Perceba que o arquivo é salvo temporariamente no servidor, portanto neste ponto do código não existe nenhuma mágica, o upload já foi feito e você só precisa mover e renomear o arquivo para onde você deseja.

Função move_uploaded_file

Depois de fazer os tratamentos necessários no PHP, você pode utilizar a função move_uploaded_file para mover o arquivo para o diretório onde ele deverá ficar (veja como criar pastas em PHP).

$uploaddir = '/var/www/uploads/';
$uploadfile = $uploaddir . $_FILES['userfile']['name'];
if (move_uploaded_file($_FILES['userfile']['tmp_name'], $uploaddir . $_FILES['userfile']['name'])) {
    echo "Upload com sucesso";
} else {
    echo "Erro no upload";
}
print_r($_FILES);

Espero ter ajudado no entendimento de como funciona o upload de arquivos com PHP, atualmente deixo o Code Igniter gerenciar quase tudo isso nas minhas aplicações. 🙂

Executando comandos unix pelo PHP

Eu apliquei um sistema unificado de cache no And After, nos blogs do site e na loja Eu Compraria, este sistema tornou o Gir (nosos querido escravo-servidor) muito mais eficiente na realização de suas tarefas.

O sistema de cache utiliza o Code Igniter com memcached e cache de arquivo físico. Isso otimizou muito o carregamento de todas as nossas páginas: "(1.002 Seconds), 70% of sites are slower: segundo a Alexa.

Além de adiantar a entrega das páginas, melhorando a vida dos leitores, reduziu drasticamente o consumo (e consequentemente o custo) de servidor e eliminou os problemas de performance com com o alto consumo de processamento do MySQL (saiba as diferenças entre innoDB e MyISAM).

Automatizando a "limpeza" de cache

A única dificuldade que isto acarretou foi o trabalho de realizar a limpeza de cache de arquivos físicos quando era necessário.

Até hoje eu fazia isso via ssh: logava no servidor e removia os arquivos necessários. Eu poderia implementar um sistema do Code Igniter para fazer isso, mas envolveria percorrer todos os registros do banco e eliminar o cache referente a cada objeto.

Um modo menos custoso e trabalhoso de fazer isso é automatizar a remoção dos arquivos físicos através do próprio PHP, e uma forma de fazer isso é com o comando shell_exec.

PHP shell_exec

O comando do PHP shell_exec permite você executar algum comando do terminal unix diretamente pelo PHP, retornando como uma string qualquer coisa que este comando imprima no terminal.

Atenção: este comando pode expor seu servidor a problemas de segurança.

No meu caso eu queria apagar os arquivos físicos de cache, um exemplo de sintaxe para o meu caso:

shell_exec('rm /var/www/andafter.org/htdocs/cache/publicacoes/*');

 

Vale lembrar que seu usuário www deve ter as permissões necessárias para executar os comandos. Abriu um novo leque de possibilidades do que é possível fazer com o PHP depois de conhecer este comando. 🙂